Os russos não podem reservar quartos no Airbnb fora da Rússia.

Os russos não podem reservar quartos no Airbnb fora da Rússia.

Residentes da Rússia e da Bielorrússia não têm mais permissão para reservar ou ficar em qualquer local do Airbnb em todo o mundo, de acordo com a empresa.

A partir de 4 de abril ou mais tarde, a empresa de aluguel de casas cancelou todas as reservas existentes nos dois países, com os anfitriões incapazes de aceitar reservas.

A proibição ocorre depois que o Airbnb anunciou há um mês que suspenderia as operações nos países, impossibilitando que os visitantes reservem hospedagem na Rússia e na Bielorrússia.



Brian Chesky, do Airbnb, CEO da empresa, anunciou pela primeira vez a nova mudança no Twitter.

O site da empresa inicialmente provocou indignação e confusão com uma tradução do anúncio da proibição em russo.

A tradução enganosa – os hóspedes da Rússia e da Bielorrússia não podem mais fazer reservas no Airbnb – implicava que todos os cidadãos russos e bielorrussos, não apenas os dos dois países, foram impedidos de usar o Airbnb.

A empresa especificou no anúncio original de língua inglesa que a proibição só se aplica a residentes da Rússia e Bielorrússia, não a nacionais russos e bielorrussos que vivem no exterior.

Anunciamos a suspensão das operações na Rússia e na Bielorrússia cerca de um mês atrás, e o ponto-chave deste anúncio é 'in' não 'de', disse um porta-voz do Airbnb à Newsweek, negando o boato de que o Airbnb baniria todas as nações russas e bielorrussas.

De acordo com a empresa de pesquisa de mercado de aluguel de férias AirDNA, o Airbnb tinha mais de 93.000 casas listadas na Rússia e quase 4.000 na Bielorrússia anteriormente.

Após a invasão russa, o Airbnb foi franco em seu apoio à Ucrânia, anunciando em 28 de fevereiro que forneceria moradia gratuita e de curto prazo para até 100.000 refugiados ucranianos que fugissem do país devido ao conflito.

A mudança será financiada pela empresa, doações e generosos anfitriões do Airbnb, de acordo com Chesky.

Alguns usuários do Airbnb supostamente usaram o site para doar para civis ucranianos presos na zona de conflito, reservando quartos sem a intenção de viajar.

Chesky anunciou em 12 de março que 434.000 noites haviam sido reservadas na Ucrânia até aquela data, trazendo $ 1,5 milhão para anfitriões ucranianos.

A empresa também confirmou na segunda-feira que as taxas para hóspedes e anfitriões na Ucrânia serão dispensadas para essas reservas. Dessa forma, os anfitriões na Ucrânia receberão toda a renda sem que o Airbnb tenha um corte.

Por causa das sanções, a empresa afirmou anteriormente que não poderia processar pagamentos de certas instituições financeiras russas e bielorrussas.